12 novembro 2015

Porque a rainha Vasti não se apresentou perante ao rei Assuero?


 Primeiramente, quero deixar claro que a Bíblia não nos relata o motivo pelo qual a rainha Vasti não obedeceu a ordem de seu marido, rei Assuero, o qual ordenou a ela que se apresentasse perante ele. Portanto, irei responder esta pergunta, mediante aos relatos desta história, mencionados pela Bíblia, especificamente no primeiro capítulo do livro Ester. Outro fator importante é que, não desejo transpor através deste texto que a rainha Vasti agiu corretamente ao desobedecer a ordem do rei, desejo aqui expressar o curioso fato de uma rainha desobedecer uma simples ordem de um rei, seu próprio esposo, olhando pelo ponto de vista dela, ou seja, os motivos que ela teve para agir de tal forma.

O rei Assuero, reinou desde a Índia até a Etiópia, sobre cento e vinte e sete províncias (Ester 1.1). No terceiro ano de seu reinado, quando seu reino estava na fortaleza de Susã (Ester 1.2), o rei proporcionou “um banquete a todos os seus príncipes e seus servos” (Ester 1.3), “para mostrar as riquezas da glória do seu reino, e o esplendor da sua excelente grandeza” (Ester 1.4); este banquete durou 180 dias e ao findar, o rei proporcionou um novo banquete “a todo o povo que se achava na fortaleza de Susã, desde o maior até ao menor [...] no pátio do jardim do palácio real” (Ester 1.5) com duração de 7 dias. Era por lei e sem constrangimento, que todos os oficiais de sua casa bebessem vinho real, conforme a vontade de cada um (Ester 1.8). Ao mesmo tempo que este segundo banquete ocorria, a rainha Vasti também proporcionava um banquete às mulheres, na casa real do rei Assuero (Ester 1.9).

No sétimo dia da festa, o rei Assuero, estando já com o seu coração alegre de vinho (Ester 1.10), ordenou a Meumã, Bizta, Harbona, Bigtá, Abagta, Zetar e Carcas, seus sete camareiros (Eunucos) que serviam diante a sua presença, que “introduzissem na presença do rei a rainha Vasti, com a coroa real, para mostrar aos povos e aos príncipes a sua beleza, porque era formosa à vista.” (Ester 1.11). O que o rei não esperava, era que a rainha recusaria a sua ordem desobedecendo-o, pelo que ele “muito se enfureceu, e acendeu nele a sua ira.” (Ester 1.12). Após o conselho dos sábios, especialmente de Memucã, Assuero decretou que Vasti não entrasse mais na presença dele, ou seja, Vasti não seria mais a sua rainha, e também lançou um decreto em seu reino, em que todas mulheres devem dar honra a seus maridos (Ester1.20)

E foi assim que a rainha Vasti foi destituída da sua realeza. Mas porque ela não obedeceu ao rei? O que fez com que ela tomasse a decisão de desobedecer a ordem do rei, seu marido?

Quero apresentar duas hipóteses que podem tentar justificar a desobediência da rainha, porém, é claro, não afirmarei que alguma destas hipóteses é o real motivo, pois a Bíblia não nos relata, como já mencionei. As Hipóteses são: 1ª Preservar sua honra; 2ª Medo de ser mal tratada. E também quero apresentar uma terceira hipótese para justificar o fim desta história (Ester como rainha): 3ª Plano Divino.


1ª Preservar sua honra


O versículo 11 relata claramente qual era a intenção do rei Assuero quanto a apresentação da rainha Vasti perante ele; ele queria mostrar aos povos e príncipes a beleza e formosura de sua mulher (Ester 1.11). Assuero não convidou a sua esposa para estar ao lado dele durante a festa, nem mesmo teve a intensão de dar honra a ela no último dia da festa, ele queria expô-la como mais uma das “riquezas da glória do seu reino” (Ester 1.4).

“As mulheres costumavam se cobrir bem, como ainda fazem na maioria dos países do Oriente Médio, e a rainha perderia a sua dignidade se fosse apresentada como um objeto atraente aos olhos do público”1.

Um dos motivos que podem ter levado a Vasti agir de tal forma foi que ela preferiu manter a sua honra do que obedecer a estulta ordem do rei



2ª Medo de ser Maltratada


Talvez seja uma hipótese intrigante, mas na minha opinião deve ser considerada. Levando em conta que o rei Assuero estava com o coração alegre de vinho (Ester 1.10), ou seja, embriagado, nos remete a crer que ele poderia sim maltratar a sua mulher. Dois pontos me fazem crer que ele estava agindo sem consciência: o primeiro é devido a sua embriaguez e o segundo é revelado na intenção da ordem que ele deu a sua esposa, que era mostrar a beleza e formosura dela; uma estulta ordem como citado.

Os dois pontos que observei, me dão o direito de achar que ele, fora de sua razão, poderia fazer outros pedidos insensatos a rainha Vasti, ao apresentar-se perante ele; como dançar, mostrar um pouco mais de sua beleza e outros mais. Fora de sua razão, Assuero poderia humilha-la perante todos, maltratá-la e em extremo caso, até mesmo violentá-la (não em público).

Portanto o medo de ser maltratada, pode ter sido um motivo que fez com que a rainha desobedecesse ao rei.


3ª Plano Divino


Nesta hipótese, o “ângulo da câmera” já não é mais da rainha Vasti, mas não deixa de ser um motivo válido para o fim da história (Ester como rainha).

Sabemos bem que era plano de Deus que Ester se tornasse rainha, mas deixo claro aqui que Deus não utilizou da desobediência para concretizar os seus planos, ou seja, Ele não fez com que Vasti desobedecesse ao rei, o que fez com que ela perdesse sua realeza, para colocar Ester em seu lugar; de forma alguma Ele fez isto. A desobediência foi um ato que a rainha optou por fazer e não um ato em que Deus a induziu a fazer.

De que outra forma então, Deus faria com que Ester se tornasse rainha?

Isto eu não sei responder, mas o que posso dizer é que Deus não utiliza-se do pecado para concretizar seus planos, nem impulsiona alguém a errar como parte de seus planos (Tiago 1.13).

Deus, através de Ester, como rainha, deu providência ao Seu povo escolhido, libertando-os das mãos do reino inimigo.

O Plano divino, consistiu em colocar Ester como rainha e libertar o Seu povo.


Por Paulo Henrique S. G. 



Referências

- BÍBLIA SAGARADA

- 1 : A Revolta da Rainha Vasti, Disponível em: < http://www.bible-facts.info/comentarios/vt/ester/ARevoltadaRainhaVasti.htm> Acessado em 12 de Novembro de 2015.


0 comentários: