Jovens e Adolescentes do Bairro Mapim

Conjunto Ellos de Paz e Conjunto Resplandecer. Unidos em uma única Adoração.

Diretoria do Conjunto Ellos de Paz

Ellos de Paz 2015, resgatando almas para o reino de Deus, cumprindo o Ide de Jesus e divulgando com empenho a Palavra do Senhor.

Igreja Assembléia de Deus - Bairro Mapim

"...todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor." Efésios 2.21

Integrantes do Projeto Meu Amigo Intercessor

"A oração é uma das principais formas de desenvolver intimidade com Deus."

Passeata com os Jovens, Adolescentes, Banda e Crianças

"E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura." Marcos 16.15

Conjunto das Crianças do Bairro Mapim

"Jesus, porém, disse: Deixai as crianças, e não os estorveis de vir a mim; porque dos tais é o reino dos céus." Mateus 19.14

01 janeiro 2016

Já registrou a sua queixa?




A queixa é uma coisa dos tempos remotos e muito comum em nossos dias. Os que se dizem prejudicados em quaisquer questões prontamente procuram seu órgão competente para registrar a sua queixa; porém, contra o outro. Nunca se ouviu dizer de alguém que tenha registrado uma única queixa contra si mesmo. Em Lamentações de Jeremias 3.39, o profeta faz a seguinte pergunta: “De que se queixa o homem...? ” Aconselhando que o mesmo se queixe dos seus próprios erros (pecados). O apóstolo Tiago aconselhou: “Irmãos, não vos queixeis uns contra os outros...”, prosseguindo o teor: “... para que não sejais condenados…” (Tiago 5.9). Quer dizer: quem estará sujeito à condenação é o autor da queixa e não o acusado. Estou livre e desimpedido para registrar a minha queixa, desde que seja de mim (Salmos 142.2) para que eu possa suportar os que são dependentes da minha paciência.









Pr. Antonio Cesar

Dirigente do Setor Mapim - V. Grande/ MT

Tem Certeza do seu Investimento?














Desde que iniciou a existência da humanidade, existe a competição; no Éden, o casal foi iludido a desobedecer, no interesse de ser igual a Deus (Gênesis 3.4-6). Caim e Abel, filhos do casal, deu no que deu. Abel investia certo e Caim investia errado (Gênesis 4.3-5). Esaú trocou a benção com seu irmão Jacó por um prato perecível (Gênesis 25.31-34). Tudo isso nos traz a advertência para que tenhamos cuidado e não confundirmos as coisas. Em Mateus 6.19 e 20, Jesus disse: “Não ajunteis tesouros na terra e sim no céu...”. É melhor estar na benção de Deus do que submeter a tantas dores em busca de uma riqueza insegura. No livro de Provérbios, 10.22, diz: “A benção do Senhor é que enriquece...”. Querer ser rico é correr o risco de cair em tentação (1ª Timóteo 6.9). A receita Bíblica é: “Buscai primeiro o reino de Deus...” (Mateus 6.33).










Pr. Antonio Cesar

Dirigente do Setor Mapim - V. Grande/ MT

Viva O Presente


Pedro estava boquiaberto. Com Tiago e João, seguira Jesus montanha acima e, de repente, “Seu rosto resplandeceu como o sol, e as Suas vestes se tornaram brancas como a luz.” E isso foi só o início do espetáculo: Moisés e Elias — mortos fazia séculos— simplesmente apareceram para conversar com Jesus.

Não surpreende que Pedro estivesse atônito, mas nem isso o impediu de falar. Sempre muito sincero e, às vezes, impulsivo, foi o seguidor de Jesus que teve a coragem de sair andando sobre a água quando o Mestre o chamou. Aquele homem de ação reagiu ao evento extraordinário descortinado diante dos seus olhos como se esperava dele. Não satisfeito em ouvir quieto a conversa e refletir no que era dito, decidiu interromper para dar uma ideia.

“Como é bom estarmos aqui, Senhor! Se o Senhor quiser, eu armarei três barracas neste lugar: uma para o Senhor, outra para Moisés e outra para Elias.”

A intenção foi boa, mas a interrupção antecipou o fim do evento. Deus falou da nuvem, os discípulos ficaram petrificados, jogaram-se no chão e cobriram o rosto. Quando abriram os olhos, os dois visitantes já haviam partido.

Às vezes, não valorizamos o presente e, quando nos damos conta, o momento passou. Uma borboleta colorida brilhante pousa delicadamente sobre uma pedra no jardim. Corremos para pegar a câmera, mas quando voltamos, vemos que ela já não está mais lá. Observamos lentamente a arquitetura da cidade que visitamos nas férias, mas não paramos para perceber a história de nossa vizinhança. Contamos os dias para as férias no campo, mas não percebemos as árvores e as flores na praça logo ali. Encontraríamos mais realização e satisfação em nossas vidas se, em vez de apenas alimentarmos esperanças para o futuro, nos concentrássemos neste momento.

Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele. — Salmo 118:24

O momento presente sempre pode ser bem ou mal usado, mas nunca recuperado.— Canon Wynne (c. 1850)

Os momentos dourados no rio da vida passam rápido por nós, mas apenas vemos a areia; os anjos vêm nos visitar e somente os percebemos depois que se vão.— George Eliot (1819–1890)


Romanos 15:13 (NVI-PT) Que o Deus da esperança os encha de toda alegria e paz, por sua confiança nele, para que vocês transbordem de esperança, pelo poder do Espírito Santo.

Pensem nisso e tenham uma ótima tarde!





Marcos Ledesma

Um Pensamento Provocador



A paz seja com todos os jovens!

Recentemente, deparei-me com um versículo bíblico que já havia lido, ouvido e até citado centenas de vezes, mas meditar nele, pensar em suas aplicações práticas e na enormidade das consequências que poderiam advir se eu escolhesse ignorá-lo me ajudou a perceber mais amplamente sua importância.

Mateus 6:14–15 diz: “Se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós. Porém se não perdoardes aos homens suas ofensas, também vosso Pai celestial não perdoará as vossas.”

A passagem deixa claro que tanto perdoar quanto não perdoar tem um efeito direto no nosso relacionamento com Deus.

Sobre o mesmo tema, algumas páginas depois, encontramos uma pergunta feita por Pedro, que recebe uma resposta óbvia: “Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete? Jesus lhe respondeu: Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete.” Esse número tão alto, 490, serve para enfatizar que ninguém deve se sentir no direito de parar de perdoar.

Para esclarecer ainda mais a questão, Jesus fala de valores bem elevados ao contar a história de um rei que queria fazer o acerto com seus servos ou súditos:

Um servo do monarca lhe devia dez mil talentos. Como um talento equivale a 57 quilos, a dívida era de 570 toneladas de, provavelmente, prata ou ouro. Se fosse prata, em valores de hoje, o homem devia R$ 900 milhões; no caso do ouro, cerca de R$ 57 bilhões — em qualquer época, valores enormes. Como o devedor não tinha como pagar, o rei ordenou a venda do servo, de sua esposa, dos filhos do casal e de todos os bens da família. O homem implorou ao rei por paciência e este, com pena, perdoou a dívida.

Pouco depois, o que fora perdoado encontrou alguém que lhe devia cem denários — menos de cinco mil reais. Infelizmente, não houve perdão para essa dívida e o credor mandou que o inadimplente fosse preso.

Quando o rei ficou sabendo, chamou o servo e lhe disse:

“Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste. Não devias tu igualmente compadecer-te do teu companheiro, como também eu me compadeci de ti? Assim, encolerizado, o seu senhor o entregou aos verdugos, até que lhe pagasse tudo o que devia.”

Jesus conclui a história com uma afirmação alarmante: “Assim vos fará também Meu Pai celeste, se de coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas.”
Às vezes, intencionalmente ou não, os outros pecam contra nós ou nos magoam. Infelizmente, fazemos o mesmo. Independentemente das ofensas que sofremos, nosso dever é perdoar, mesmo quando somos enganados, tratados injustamente, roubados, caluniados e trapaceados.

Perdoar não é aprovar o que a outra pessoa fez nem significa que as perdas que sofremos foram reparadas, mas em vez de insistirmos em definir quem está certo e quem está errado, escolhemos deixar o assunto e suas repercussões nas mãos de Deus. É a escolha do perdão.

Todos pecamos e estamos aquém da glória de Deus. Como o servo que se recusou a perdoar, temos uma dívida enorme e impagável com Deus. Por meio de Jesus, Ele perdoa nossa dívida, mas também nos chama para, na mesma medida, perdoarmos os demais.

Cria certo desconforto pensar que, se não perdoarmos os que pecam contra nós, Deus não nos perdoará quando pecarmos contra Ele. Mas esse pensamento também traz a promessa de que, por concedermos perdão aos outros, Deus nos dará o dEle. Se formos misericordiosos, receberemos misericórdia. Quem perdoa, é perdoado.

“Portanto, como eleitos de Deus, santos e amados, revesti-vos de compaixão, de benignidade, de humildade, de mansidão, de longanimidade. Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós. E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição.”


Romanos 3:23 (NVI-PT) pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus,

Marcos 11:25 (NVI-PT) E quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial lhes perdoe os seus pecados.

Colossenses 3:12-14 (NVI-PT) Portanto, como povo escolhido de Deus, santo e amado, revistam-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência. Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros. Perdoem como o Senhor lhes perdoou. Acima de tudo, porém, revistam-se do amor, que é o elo perfeito.

Tenham uma ótima semana na paz do senhor !





Marcos Ledesma

Um Coração Cheio De Alegria




A paz do senhor Jovens!

A alegria do Senhor não se baseia em coisas efêmeras que vêm e vão, nem em circunstâncias. A alegria do Senhor se fundamenta em um futuro feliz, no que virá a ser, no potencial de cada situação. Sua alegria tem por base coisas eternas, o amor, o desfrutar da felicidade de Suas criações e de todos os outros prazeres saudáveis e eternos que o dinheiro não pode comprar. É aí que está a verdadeira alegria.

Deus torna a felicidade possível mesmo quando as coisas não estão perfeitas, porque Ele é maior que elas. Promete que as coisas vão dar certo no futuro e que Ele o fortalecerá no presente.

Deus quer ajudá-lo a ser feliz, mesmo se as circunstâncias físicas não forem as ideais. Sua alegria lhe permite ser feliz, louvar e despreocupar-se, mesmo quando estiver cercado de muitos afazeres, porque Sua alegria vem do céu, que está muito além desses problemas terrenos. Jesus é nossa ponte e nossa porta para esse mundo de felicidade.

Deus nos ama mesmo quando não nos comportamos bem, somos lentos para aprender, pecamos, não amamos como deveríamos e até decepcionamos. Nunca deixa de nos amar e, principalmente, sempre acredita na nossa vitória. Sua fé em cada um de nós pode nos tornar alegres, mesmo quando as coisas parecerem bem ruins, porque podemos confiar que o melhor ainda está por vir.

Para ter esta alegria, é essencial alimentar a visão do eterno, sem deixar que as coisas pequenas que acontecem aqui e agora tenham tanta influência na nossa felicidade e paz. Na perspectiva eterna, tudo está bem! Por isso, espere o futuro com fé e isso tornará o seu presente melhor também.

Às vezes, sentimos que para sermos felizes temos de nos livrar de nossos problemas. No minuto que algo negativo surge, ficamos abalados e sentimos que nossa alegria se foi. Mas a alegria espiritual de Deus tem uma base muito mais ampla. Podemos ficar felizes durante as tempestades da vida porque sabemos que acima das nuvens brilha o sol.

Esteja atento às coisas que cada dia lhe traz para fazê-lo feliz, para lhe proporcionar prazer, alegria, satisfação ou contentamento. Há coisas grandes também, mas concentre-se nas pequenas. Deus quer vê-lo desfrutar essas dádivas e ter prazer em cada bênção que Ele lhe concede, mas também quer lhe ensinar mais sobre uma alegria permanente, uma felicidade duradoura que não depende das coisas da Terra.

A felicidade que Deus dá se baseia na fé. Vê além do momento e revela a natureza eterna do Seu amor. Você pode ser feliz e pode ter esperança para o futuro, mesmo que tenha bagunçado seu presente. Pode acreditar que Deus ama você, inclusive quando você O decepciona. Ame sem economia, porque o amor não acaba. Divirta-se e relaxe, porque essas coisas são boas, saudáveis e Deus quer que você as desfrute também.

Deus quer que você seja feliz. E sua felicidade pode começar já, nas circunstâncias em que você se encontra hoje. Basta receber a alegria, o alívio e o encorajamento que Ele quer lhe dar, aceitar Suas promessas, exigir que Ele as cumpra e mudar a maneira como vê a vida. E isso pode acontecer instantaneamente, basta você estender a mão de fé e acreditar.

Se ainda não vivenciou a alegria do Senhor, pode fazê-lo agora mesmo por meio da seguinte oração:
Querido Jesus, obrigado por me dar a vida eterna pelo Seu sacrifício. Por favor, perdoe-me pelas coisas erradas que fiz, entre no meu coração e me preencha com Sua alegria. No Seu nome, eu peço. Amém.

A felicidade que Deus dá está disponível mesmo nas horas de dificuldade
Transbordo de gozo em todas as nossas tribulações.

Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim. Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias.
— 2 Coríntios 12:9–10 NVI

Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós. […] Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis.
— 1 Pedro 4:12–13

Quando estiver passando por uma provação, pode se lembrar das vitórias conquistadas e contar suas bênçãos, na certeza de que hão de vir bênçãos maiores se você guardar a fé.
—Ezra Taft Benson (1899–1994)


Efésios 4:31-32 (NVI-PT) Livrem-se de toda amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, bem como de toda maldade. Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus os perdoou em Cristo. I give to you. Not as the world gives do I give to you. Let not your hearts be troubled, neither let them be afraid.

Jeremias 29:11 (NVI-PT) Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês’, diz o Senhor, ‘planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.

João 14:27 (NVI-PT) Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbe o seu coração, nem tenham medo.

Pensem nisso e tenham um ótimo dia na presença de Deus !





Marcos Ledesma

Suportando Dificuldades



Os cristãos não estão imunes às dificuldades da vida, mesmo que alguns achem que deveriam. A expectativa de que a fé nos protegerá de todos os problemas, lutas e sofrimentos pode, diante de intempéries, produzir um “complexo de mártir”, a ponto de acharmos não haver situação pior que a nossa.

Quem pensa assim deve dar uma olhada nas situações com as quais os outros — crentes e não crentes — têm de lidar no dia a dia. É possível que alguns pareçam estar materialmente melhores, mas há muitos que não conseguem sequer atender às necessidades básicas à sobrevivência.

Apesar de os cristãos enfrentarem dificuldades físicas semelhantes às dos outros e terem muitos problemas, podem, de um modo geral, pelo menos entender pela palavra de Deus que existe uma boa razão para o que está acontecendo, um propósito divino, que sua provação é parte da operação nos bastidores da vida. Mesmo quando não vemos nenhum benefício imediato que possa advir de nossas dificuldades, elas têm o potencial de nos ensinar lições e nos tornar mais fortes. E isso basta para fazer com que seja mais fácil suportá-las.
Algumas pessoas lidam por anos com aflições, com um patrão difícil, ou com um trabalho que odeiam. Outros — cristãos e não cristãos — são ridicularizados, criticados, rejeitados ou até abertamente perseguidos por suas convicções. Nossa fé em Cristo muitas vezes nos permite entender como até mesmo nossas dificuldades servem para nos ajudar. Os que não creem não contam com um Salvador que os auxilie na compreensão do motivo de suas aflições. As dificuldades existem, mas nossas vidas provavelmente parecem comparativamente fáceis para tantos que não dispõem do senso de propósito que nossa fé nos dá.

Podemos aprender e crescer a partir de nossos problemas. Nossas lutas nos ensinam a ter paciência, a persistir, a nos apegarmos às promessas de Deus e suportar sofrimentos como bons soldados de Cristo Jesus — não só por um dia, uma semana ou um mês, mas, se preciso, por muitos meses ou até anos.

A Bíblia ensina que Deus abençoa os que pacientemente suportam os testes. “Vocês precisam ter paciência [ao passar por problemas] para poder fazer a vontade de Deus.”

Paulo chegou a declarar: “Gloriamo-nos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança.”

Às vezes, passamos por períodos prolongados durante os quais não devemos de forma alguma nos orientar por nossos sentimentos ou pelas circunstâncias. É nessas horas que é importante nos agarrarmos aos fatos claramente estabelecidos na palavra de Deus, dentre eles, o Seu amor. Ele nos ama e se importa conosco, independentemente de como nos sintamos. Mesmo quando tudo parece se voltar contra nós ou dar errado, podemos confiar que o bem triunfará no fim e Jesus sempre estará conosco.

Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, ele mesmo lhes providenciará um escape, para que o possam suportar. — 1 Coríntios 13

2 Timóteo 2:3 (NVI-PT) Suporte comigo os meus sofrimentos, como bom soldado de Cristo Jesus.

Tiago 1:12 (NVI-PT) Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida, que Deus prometeu aos que o amam.

Hebreus 10:36 (NVI-PT) Vocês precisam perseverar, de modo que, quando tiverem feito a vontade de Deus, recebam o que ele prometeu;

Tenham uma ótima semana na paz de Cristo!





Marcos Ledesma

Seja Feliz Com O Que Deus Te Dá



A paz a todos meus amigos!

Não surpreende que a Bíblia tenha inspirado tantos artistas. Seus textos são repletos de descrições vívidas. Vejamos um exemplo: “Vocês têm plantado muito, e colhido pouco. Comem, mas não se fartam. Bebem, mas não se satisfazem. Vestem-se, mas não se aquecem. Aquele que recebe salário, recebe-o para colocá-lo numa bolsa furada!” Tão verdadeiro hoje quanto o era dois milênios atrás, podemos visualizar aquilo ao que o profeta se refere: insatisfação no trabalho, a luta para pagar as contas, tentativas vãs de acompanhar as imposições da moda e o achatamento do poder de compra do dinheiro.

Vejamos agora Eclesiastes: “Melhor é ter um punhado com tranquilidade do que dois punhados à custa de muito esforço e de correr atrás do vento.” É possível ver a cena. Imagine uma mão cheia com algo que você gosta muito: nozes, frutas ou chocolates. Você pode sentar e comer a contento. Agora, visualize-se com as mãos cheias de moedas as quais você tenta impedir que caiam no chão, ao mesmo tempo em que segura o cabo para controlar a vela do seu barco.

É verdade que temos de trabalhar para garantir nossas necessidades básicas e é uma dádiva de Deus poder comer, beber e desfrutar dos frutos de nossos esforços, mas “correr atrás do vento” são outros quinhentos. A satisfação vem quando aprendemos a agradecer a Deus pelo que temos e pelo que não temos. — e esse é o segredo do contentamento.

“Ora, o contentamento é um das flores do céu e, se quisermos tê-lo, devemos cultivá-lo… Paulo disse: “aprendi a me contentar com o que tenho”, o que significa que foi algo que em algum momento não sabia. Custou-lhe algumas dores alcançar o mistério desta grande verdade.” — Charles Spurgeon (1834–1892)

Querido Jesus, Você fez tudo lindo a seu tempo. Conceda-me a alegria para viver este momento, agradecendo-Lhe pela Sua provisão, não apenas de necessidades materiais, mas também do amor e fé que Você oferece àqueles que estendem a mão para Você. Ajude-me a conhecer a realidade da Sua promessa: “A minha graça te basta.” Seja meu centro e meu foco, para que meu coração esteja em paz.


1 Timóteo 6:8 (NVI-PT) por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos.

Filipenses 4:11 (NVI-PT) Não estou dizendo isso porque esteja necessitado, pois aprendi a adaptar-me a toda e qualquer circunstância.

2 Coríntios 12:9 (NVI-PT) Mas ele me disse: “Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”. Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim.

Pensem nisso e tenham um ótimo dia!





Marcos Ledesma

Se apenas soubéssemos…



A paz do senhor turma!

“Se você apenas soubesse.” Bastaram essas quatro palavras de um estranho para causar uma reviravolta na vida daquela mulher que, por qualquer ângulo que se olhasse, não estava nada bem.

Tinha um companheiro, mas já fora casada cinco vezes. Trocava de homens como algumas pessoas trocam de emprego, de endereço ou de carro, motivada por algo comum a todas pessoas: queria mais. Buscava amor, segurança, aceitação, realização e paz de espírito. Queria ser feliz. Não queria uma vida pela metade. Mas se apenas soubesse o quê?

Se você percebeu que acabou de ler uma versão pouco elaborada da história do encontro de Jesus e a samaritana junto ao poço, já sabe o que ela estava prestes a descobrir. Conversava com o Filho de Deus, que em segundos a colocaria em contato com a fonte de tudo pelo qual ela ansiava: o próprio Deus. A mulher gostou do que ouviu e foi transformada por essas palavras. Os outros notaram e, mais uma vez, ela foi o principal assunto da cidade. Só que, dessa vez, não foi por algo que ela tivesse feito, mas pelo que Jesus lhe fizera.

Não queremos todos as mesmas coisas que essa mulher desejava? Ah, se nós apenas soubéssemos… Se tão somente soubéssemos —de verdade— quanto Deus nos ama, jamais nos sentiríamos inseguros. Se soubéssemos como Ele nos aceita —sem levar em conta nossas imperfeições nem os erros que cometemos não nos preocuparíamos tanto com o que as outras pessoas pensam. Se soubéssemos o quanto Ele valoriza nosso amor por Ele e pelos outros, encontraríamos nisso nossa realização, acima de tudo e principalmente. Se soubéssemos Seus planos para nós, não temeríamos o futuro. Se apenas soubéssemos como Ele nos ama pelo que somos, jamais desejaríamos ser nenhuma outra pessoa.


Sofonias 3:17 – O Senhor, o seu Deus, está em seu meio, poderoso para salvar. Ele se regozijará em você; com o seu amor a renovará, ele se regozijará em você com brados de alegria”.

1 Pedro 5:6-7 – Portanto, humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele os exalte no tempo devido. Lancem sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês.

Salmos 136:26 – Dêem graças ao Deus dos céus. O seu amor dura para sempre!

Pensem nisso e tenham uma ótima tarde!





Marcos Ledesma

Onde Está O Seu Tesouro?



Quando li os Evangelhos pela primeira vez, uma das histórias que mais se destacou para mim foi a de um joalheiro que, ao descobrir uma pérola de grande valor, vendeu tudo que possuía e a comprou. Jesus explicou que aquela pérola simbolizava o reino de Deus e ler isso me apertou o coração. Eu também queria aquela pérola!

Em outra passagem Jesus ensinou: “Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem e onde os ladrões arrombam e roubam. Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem destroem e onde os ladrões não arrombam nem roubam. Pois onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.”

Com o tempo aprendi mais claramente que as verdadeiras riquezas não são coisas esta terra, mas alegria, paz, amor, bondade fé e tantas outras preciosidades que Deus quer dar a cada um de nós, todos os dias.

Nossa parte é a mais fácil: abrir a alma para receber Suas dádivas. Se nossos tesouros estiverem no céu, nosso coração viverá repleto de felicidade agora e na vida por vir.


Mateus 6:24 (NVI-PT) “Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro.

Provérbios 19:1 (NVI-PT) Melhor é o pobre que vive com integridade do que o tolo que fala perversamente.

Marcos 11:25 (NVI-PT) E quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial lhes perdoe os seus pecados.

Pensem nisso e tenham um ótimo dia!





Marcos Ledesma

O Sal Da Terra




“Vós sois o sal da terra.”— Mateus 5:13 

Por sermos cristãos, procuramos ser agentes de mudanças na vida das pessoas e, de forma mais ampla, na sociedade. Isso pode significar que vamos criar dificuldades e nadar contra a corrente. Nem sempre o que os cristãos fazem e valorizam estará em harmonia com o status quo.

Há mais de uma década, exortando universitários sobre a necessidade de superar a tentação da mediocridade e conformidade, o Papa João Paulo II disse: “Ao seguir Cristo, o Rei crucificado, os crentes aprendem que reinar é servir, buscar o bem dos outros e descobrem que o verdadeiro significado do amor é expresso no sincero dom de si.” Viver nesse espírito torna o cristão no “sal da terra”.

Os que seguem Jesus são chamados para dar sabor às coisas com o tempero da fé que levamos aos outros. Em Colossenses, Paulo disse: “Sejam sábios na sua maneira de agir com os que não creem e aproveitem bem o tempo que passarem com eles. Que as suas conversas sejam sempre agradáveis e de bom gosto, e que vocês saibam também como responder a cada pessoa!”

O conselho apresenta um equilíbrio entre a necessidade de aproveitarmos as oportunidades para dividir com os outros a mensagem da nossa fé, mas também de sermos agradáveis e interessantes na maneira como falamos e no conteúdo de nossa conversa, temperando nossa fala com o sal da fé e do exemplo cristão. É isso que, segundo Paulo, nos possibilitará oferecer a todos uma resposta, como também admoestou Pedro: “Estejam sempre prontos para responder a qualquer pessoa que pedir que expliquem a esperança que vocês têm.”

Não seja insosso

Caio Plínio Segundo, o naturalista romano que viveu no primeiro século, escreveu em uma de suas enciclopédias: “Nada é mais útil que o sal e o sol.” Jesus disse: “O sal é bom. Mas se o sal se tornar insípido, como retemperá-lo?” E advertiu: “Tenham sal em vocês mesmos.”

Cabe a cada um conservar em si as qualidades do sal, para que possamos temperar o mundo à nossa volta com Seu sabor. O objetivo é manter um relacionamento vivo, profundo e significativo com Jesus, manifestar um exemplo cristão, ser um praticante de Seus ensinamentos e trabalhar em união com os outros. É isso que significa ser o sal da terra, a luz do mundo e uma cidade edificada sobre o monte, pois atrai os outros para Deus, dando-lhes a oportunidade de conhecê-lO, amá-lo e ajudar os demais a fazerem o mesmo.

A busca por praticar e defender os verdadeiros valores cristãos nos permite cumprir a incumbência que Ele nos deu de sermos o tempero da vida neste mundo, de acrescentarmos sabor e sentido à vida dos outros, a preservar as boas qualidades e dividir com os demais a nossa fé.

O sal é uma necessidade da vida e um mineral usado desde os tempos antigos em muitas culturas como tempero, conservante, desinfetante, em ofertas cerimoniais e até como unidade de troca. A Bíblia faz muitas referências ao sal. Em vários contextos, é usado metaforicamente para expressar permanência, lealdade, durabilidade, fidelidade, utilidade, valor e purificação.
— John L. McKenzie (1910–1991), teólogo católico americano.

Nos tempos bíblicos, o sal era uma commodity preciosa. Dava sabor aos alimentos, era um importante conservante, deixava as pessoas com sede de algo mais. Jesus queria que Seus discípulos dessem sabor ao mundo usando para isso Seus ensinamentos, que preservassem a verdade que Ele proclamou e deixassem todos com sede de mais. … Se nós, Seus discípulos, fizermos isso, também seremos “a luz do mundo”, ou seja, espalharemos por todo lugar a luz que vem do alto, para lutar contra a escuridão criada pelo mal e pelo pecado, que tantas vezes gera ignorância, preconceitos e egoísmo. Quanto mais olharmos para o rosto de Jesus, mais luz veremos e mais seremos transfigurados por ela. As obras dos discípulos os tornam uma boa influência para o mundo.

Como o sal tem a propriedade de temperar os alimentos quando usado em poucas quantidades e de forma dispersa, os cristãos também devem dar sabor ao mundo dispersando-se nas várias nações da Terra. Ao viver segundo os ensinamentos divinos, os cristãos também preservam a Terra, diminuindo a velocidade da degradação moral nas sociedades em que se encontram.


Colossenses 4:5-6 (NVI-PT) Sejam sábios no procedimento para com os de fora; aproveitem ao máximo todas as oportunidades. O seu falar seja sempre agradável e temperado com sal, para que saibam como responder a cada um.

1 Pedro 3:15 (NVI-PT) Antes, santifiquem Cristo como Senhor em seu coração. Estejam sempre preparados para responder a qualquer pessoa que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês.

Marcos 9:50 (NVI-PT) “O sal é bom, mas se deixar de ser salgado, como restaurar o seu sabor? Tenham sal em vocês mesmos e vivam em paz uns com os outros.

Pensem nisso e tenham um ótimo dia





Marcos Ledesma

O Mistério Da Figueira



A paz seja com todos os jovens! 

O figo é um fruto do qual falam os textos bíblicos e que ainda é bem conhecido hoje, seja in natura — tenro e suculento —, seja desidratado — doce e firme. As figueiras são comuns nas paisagens das narrativas da Bíblia e muitas vezes simbolizaram segurança e prosperidade.

Certa vez, Jesus deixava uma aldeia chamada Betânia e notou uma árvore dessa espécie. Com fome, revirou suas folhas em busca de frutos, mas por não haver nenhum, amaldiçoou a árvore: “Nunca mais nasça fruto de ti” E a figueira secou imediatamente.

Parece um castigo muito áspero e bem diferente do tratamento que recebeu outra figueira na parábola que Ele contou, em que a árvore teve um prazo de quatro anos para recuperar a produtividade. Não conhecemos todas as razões que levaram Jesus a deferir aquela sentença sumária, assim como as pessoas da época não entendiam por que 18 homens foram mortos pela queda de uma torre, uma aparente fatalidade.

As perdas podem ser difíceis e tentamos entender por que perdemos um familiar, a saúde, um emprego ou um relacionamento chega ao fim. Mas “entender” nem sempre é parte do plano de Deus, pois nem sempre nos permite saber no que Ele está pensando. Para essas ocasiões, a Bíblia nos ensina que devemos ter fé: “Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento.”

Deus nem sempre dá as explicações que queremos, mas promete nos dar a Si próprio. “Não temas, pois estou contigo” — Ele nos diz. “O próprio Senhor irá à sua frente e estará com você; Ele nunca o deixará, nunca o abandonará. Não tenha medo! Não desanime!”

O que quero

Antes, era a bênção,
Agora, é o Senhor;
Antes, era o sentimento,
Agora, é a Palavra;
Antes, buscava Suas dádivas,
Agora, é Ele que quero;
Antes, queria a cura,
Agora, somente Ele;

Antes, muito me esforçava,
Agora, vivo a confiar;
Antes, tinha meia salvação,
Agora, a plenitude da vida;
Antes, procurava me agarrar,
Agora, Ele me tem nas mãos;
Antes, vivia à deriva,
Agora, Ele é meu porto firme;
—A. B. Simpson (1843–1919)


Mateus 21:18-20 (NVI-PT) De manhã cedo, quando voltava para a cidade, Jesus teve fome. Vendo uma figueira à beira do caminho, aproximou-se dela, mas nada encontrou, a não ser folhas. Então lhe disse: “Nunca mais dê frutos!” Imediatamente a árvore secou. Ao verem isso, os discípulos ficaram espantados e perguntaram: “Como a figueira secou tão depressa?”

Lucas 13:6-9 (NVI-PT) Então contou esta parábola: “Um homem tinha uma figueira plantada em sua vinha. Foi procurar fruto nela, e não achou nenhum. Por isso disse ao que cuidava da vinha: ‘Já faz três anos que venho procurar fruto nesta figueira e não acho. Corte-a! Por que deixá-la inutilizar a terra?’ “Respondeu o homem: ‘Senhor, deixe-a por mais um ano, e eu cavarei ao redor dela e a adubarei. Se der fruto no ano que vem, muito bem! Se não, corte-a’”.

Provérbios 3:5 (NVI-PT) Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento;

Tenham um ótimo dia na paz do senhor!





Marcos Ledesma

O amor é o que há de mais importante


A paz amigos

Todos temos o que aprender e melhorar no que diz respeito a relacionamentos interpessoais. E a Bíblia oferece muitos conselhos úteis sobre o assunto que nos ensinam a trabalhar melhor com os outros, a tratar bem as pessoas e assim por diante. São lições sobre paciência, longanimidade, altruísmo e generosidade, que dão destaque especial ao amor, como o mais importante ingrediente nas relações humanas: “O maior destes é o amor.” É o mais importante ingrediente para a boa convivência.

A marca do ministério de Jesus foi o amor e Ele nos diz para copiar Seu exemplo: “Novo mandamento vos dou: Amai-vos uns aos outros. Como Eu vos amei a vós, assim também deveis amar uns aos outros.” Como dizer que amamos Deus a quem não vemos, se formos incapazes de amar as pessoas com quem vivemos e trabalhamos todo o tempo? Como afirmar que temos amor por aqueles que jamais vimos, se não o tivermos por aqueles que vemos todo dia?

Deus coloca certas pessoas em nossas vidas —parentes, colegas de trabalho, supervisores, clientes, vizinhos, etc. Quer gostemos do fato, quer não, e independentemente da afeição que tenhamos ou deixemos de ter por algumas dessas pessoas, Ele nos colocou com elas e é nossa responsabilidade amá-las. Se tivermos dificuldade em nos relacionarmos com alguém, Ele certamente sabe que é algo que precisamos superar, ou não nos teria posto nessa situação. E não se trata de uma missão impossível, ou Ele não a teria designado para nós.

Apenas crescemos e aprendemos quando temos um obstáculo a superar. Portanto, veja a situação como um novo desafio. “O que posso fazer para crescer no meu relacionamento com os outros?” Parte da resposta é crescer no relacionamento com Jesus. Quando fazemos isso, somos mais amorosos com os demais. Se amarmos Deus, amaremos os outros também pois amar as pessoas é uma maneira de Lhe demonstrarmos nosso amor por Ele. Essa é a essência de tudo. O principal propósito da vida é amar Deus e os outros. O amor é o mais importante!

Pensem nisso e tenham uma ótima semana na paz do senhor !




Marcos Ledesma

Deus que Provê



A paz do Senhor Jesus!

'Porque o SENHOR dos Exércitos o determinou; quem o invalidará? E a sua mão está estendida; quem pois a fará voltar atrás?' Isaías 14:27
  
Enfrentamos muitas dificuldades em nossas vidas, um emprego que não chega, um homem de Deus que ainda não apareceu, desentendimentos em família, problemas de saúde, causas que achamos impossíveis de resolver etc.

Mas diante de todas essas dificuldades temos a certeza do amor de Deus em nossas vidas, a certeza de que tudo isso é passageiro e que no momento certo o Senhor vai entrar com providência.

O Diabo sabe dos planos de Deus para nossas vidas e ele tenta fazer tudo para atrapalhar. Mas nessa hora entra o Espírito Santo de Deus com todo seu amor e justiça para determinar nossa vitória.

Pois o Senhor fala e cumpre, porque Ele nem é homem para que minta e nem filho de homem para que se arrependa!.

Tenham um ótimo dia e saibam que hoje pode ser o dia do seu milagre!





Marcos Ledesma

Decisões Pródigas



A Paz esteja com todos!

Das parábolas contadas por Jesus, a do filho pródigo é provavelmente a mais conhecida.1 Narra a história de um jovem que deixa o lar, desvia-se do bom caminho, arrepende-se e volta para casa, onde recebe as amorosas e calorosas boas-vindas do pai. O tema aparece incontáveis vezes na literatura, na vida, na pintura, no balé, na música e até na capa da segunda edição do álbum Beggar’s Banquet da banda Rolling Stones.

Tão pungente e relevante hoje quanto o era há dois milênios, a história ensina sobre decisões. As tomadas pelo rapaz — que saiu de casa, desperdiçou a vida e a herança — são contadas no início da narrativa. Na sequência, vêm as escolhas melhores, que o jovem faz quando cai em si e volta para casa.

O pai também tem de escolher: aceitar o filho de braços abertos ou puni-lo pelos seus erros? E essa parte da história tem um detalhe muitas vezes ignorado.

Imagine a cena: o jovem surge magro, maltrapilho e derrotado. Vertendo lágrimas de alegria, o pai abraça seu menino. Mas o momento em que o homem abre o coração para acolher o filho não se dá, como tantas vezes imaginamos, quando este, de joelhos, roga perdão e expressa profundo arrependimento por haver se desviado. A decisão do pai acontece antes disso, conforme lemos em Lucas:

“Quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.”

O jovem não havia dito palavra, mas aquele pai — que sem dúvida sofrera angústias e tristezas por muitos meses ou até anos — não hesitou. Na verdade, sequer esperou que o filho se aproximasse, mas correu a seu encontro.
Tal é Seu amor incondicional, que Deus não espera que digamos as palavras corretas, não olha para nossa penúria, não avalia quão longe nos desviamos nem aguarda nossa recuperação. Tampouco nos repreende pelos erros passados e pelas decisões infelizes que tomamos, mas nos recebe de braços abertos e nos perdoa.


Romanos 8:37-39 (NVI-PT) Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.

João 3:16 (NVI-PT) “Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.

Jeremias 29:11 (NVI-PT) Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês’, diz o Senhor, ‘planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.

Tenham uma boa tarde na paz de Cristo





Marcos Ledesma

Como poderemos descobrir e saber onde nos encaixamos na família do Pai?



A paz do Senhor Jesus!

Naquele tempo, respondendo Jesus, disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos.' Mateus 11:25    


O propósito divino é celestial, eterno e espiritual, e vai muito além dos nossos limites. Criaturas limitadas pelo que é terreno, pelo tempo e pela nossa mente, os nossos maiores esforços não conseguem elevar-nos o suficiente para conhecermos a mente de Deus.

O homem, através dos seus próprios esforços e capacidades, nunca conseguiria atingir um ponto suficientemente alto para tocar o Deus Altíssimo, nem o método 'do bom senso' da ciência nem o método 'da razão' da filosofia conseguem nos levar a Deus.

O homem não consegue descobrir a Deus por si só, mas é Deus que se  revela ao homem!

Glória à Deus jovens, pois Jesus Cristo nos escolheu para revelar a sua glória em nós, segundo a sua imensurável misericórdia.






Marcos Ledesma